Press "Enter" to skip to content

PetroRio quer redução de alíquota de royalties à ANP

Rio, 17/10/2017 – A PetroRio protocolou na Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) pedido de redução da alíquota de royalties cobrados sobre a produção no campo de Polvo, na Bacia de Campos, de 10% para 5%. A medida, segundo a companhia, viabilizará caixa para a perfuração de dois poços adicionais na região, com investimentos previstos entre US$ 45 milhões e US$ 60 milhões.

“Temos uns investimentos que queremos fazer e eles são condicionados à redução dos royalties. Sem essa redução de royalties, provavelmente não vamos fazer esses investimentos”, afirmou ao Valor o diretor financeiro e de relações com investidores da PetroRio, Blener Mayhew. Embora não tenha revelado a estratégia da empresa, o executivo explicou que o pleito tem embasamento legal.

Mayhew destacou que a PetroRio fez um amplo trabalho de reestruturação do campo de Polvo, que, segundo ele, estava previsto pela petroleira BP, antiga dona da área, de ser abandonado até 2017. De acordo com o diretor, a PetroRio já ampliou essa previsão para 2021, mesmo com o preço de petróleo “desafiador”. A produção atual em Polvo é de 8 mil barris diários.

Mayhew, que trabalha com uma expectativa de resposta do pleito pela ANP até o primeiro trimestre de 2018, contou que a companhia já conta com o apoio de prefeituras dos municípios contemplados com royalties da produção do campo de Polvo. “Eles enxergam que estão abrindo mão de recursos no curto prazo para ganhar no longo prazo”, com o aumento do volume e do período de produção, a partir dos novos investimentos.

O diretor da PetroRio afirmou ainda que os dois novos poços permitirão estudos adicionais na região. Caso os resultados sejam positivos, a petroleira poderá investir outros US$ 300 milhões no desenvolvimento e na produção na área.

O executivo disse também que a PetroRio tem interesse nos campos terrestres maduros que a Petrobras colocou à venda recentemente, dentro da nova versão de seu plano de venda de ativos. Desde o fim de agosto, a Petrobras lançou oportunidades de desinvestimentos em 65 concessões terrestres, em quatro Estados (Rio Grande Norte, Bahia, Ceará e Sergipe).

“Sem dúvida, as melhores oportunidades em campos maduros estão na mão da Petrobras. Eu diria que eles são, no curto e médio prazo, as melhores oportunidades em campos maduros”, disse Mayhew.

Valor Econômico

Comments are closed.