Press "Enter" to skip to content

Governo não discute demissão de Pedro Parente, diz ministro da Casa Civil

POR MANOEL VENTURA / KARLA GAMBA

BRASÍLIA, 28/05/2018 14:13 “O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, garantiu nesta segunda-feira que o governo não analisa a demissão do presidente da Petrobras, Pedro Parente, em meio a greve dos caminhoneiros. Padilha classificou o executivo como gestor “eficaz e eficiente” e disse que a troca na presidência da estatal não está em pauta.

“Não podemos analisar qualquer pressão para a demissão de Pedro Parente. Para nós, ele é gestor eficaz e eficiente. Não está na pauta sequer analisar a possibilidade de Pedro Parente deixar de ser presidente da Petrobras” disse Padilha.

Além da greve dos caminhoneiros, petroleiros da estatal anunciaram uma paralisação de 72 horas neste semana. Segundo Padilha, a Petrobras trabalha para que não haja paralisação da categoria e o governo considera outros mecanismos, como medidas judiciais, para barrar a greve.

“A Petrobras está cuidando de ver se consegue diálogo e negociação responsável para que não aconteça essa greve. É um processo de negociação. Acreditamos que vamos conseguir superar” disse o ministro.

557 PONTOS DE BLOQUEIO

De acordo com Padilha, no início da manhã desta segunda-feira ainda havia 557 pontos de bloqueios nas estradas federais. Segundo ele, outros 728 pontos foram desobstruídos.

“Estamos esperando que esse movimento de retomada da atividade acelere para que a gente possa caminhar para normalizar o abastecimento” disse Padilha.

O ministro afirmou que as negociações com o caminhoneiro se encerraram, após o anúncio pelo presidente Michel Temer de uma série de medidas para atender a categoria, na noite desse domingo.

“No nosso entendimento, a negociação que o governo tinha que fazer, encerrou-se. Porque os presidentes das confederações pediram a suspensão do movimento. Sob o ponto de vista da negociação formal, foi negociado a extinção do movimento” disse.

 

Comments are closed.

Guiaoffshore 16 anos com você