Press "Enter" to skip to content

Governo arrecada R$ 3,15 bilhões em bônus de assinatura na 4ª rodada do pré-sal

“Certame vai gerar R$ 738 milhões em investimentos previstos na fase de exploração”

Rio, 12:40 07/06/2018 – A 4ª Rodada de Partilha da Produção no Pré-sal, realizada hoje (07/06) pela ANP, arrecadou R$ 3,15 bilhões em bônus de assinatura e gerará R$738 milhões em investimentos previstos somente durante a fase de exploração. O ágio médio do excedente em óleo ofertado na 4ª Rodada foi de 202,3%. O leilão teve três dos quatro blocos oferecidos arrematados: Uirapuru, Dois Irmãos e Três Marias.“A rodada foi extremamente exitosa, atraindo atenção de grandes empresas. Continua o processo de atração de investimentos para o país. Vamos ver o resultado disso no futuro, por meio da produção de petróleo e gás, geração de empregos, royalties e tributos. As receitas esperadas pela União, estados e municípios vão crescer em R$ 40 bilhões a mais do que o inicialmente previsto, ao longo desses contratos”, afirmou o diretor-geral da ANP, Décio Oddone.

As receitas esperadas pela União, estados e municípios vão crescer em R$ 40 bilhões a mais do que o inicialmente previsto, ao longo desses contratos”, afirmou o diretor-geral da ANP, Décio Oddone.

Nas licitações sob o regime de partilha da produção, as empresas vencedoras são as que oferecem ao Estado brasileiro, a partir de um percentual mínimo fixado no edital, a maior parcela de petróleo e gás natural produzido (ou seja, a maior parcela de excedente em óleo). Os bônus de assinatura, também determinados no edital, são fixos.

De acordo com a legislação atual, a Petrobras tem o direito de preferência para atuar como operadora nos blocos do pré-sal. A empresa optou por ser operadora nos três blocos arrematados.

A 4ª Rodada de Partilha dá continuidade do calendário de rodadas, que contribuem para a retomada do setor e atraem investimentos ao País. A 5ª Rodada está prevista para o dia 28 de setembro e ofertará as áreas de Saturno, Titã, Pau-Brasil e Sudoeste de Tartaruga Verde, localizados nas bacias de Campos e Santos, dentro do Polígono do Pré-sal e em área declarada estratégica. O pré-sal brasileiro possui um dos maiores potenciais de reservas a serem desenvolvidas no planeta.

O calendário de rodadas prevê leilões até 2021: a 6ª Rodada de Partilha de Produção, com áreas no Polígono do Pré-sal, e a 16ª, a 17ª e a 18ª Rodadas de Licitações de Blocos, no regime de concessão. Adicionalmente, teve início este ano a Oferta Permanente, que consiste na oferta contínua de campos e blocos devolvidos (ou em processo de devolução) à ANP e de blocos exploratórios ofertados em licitações anteriores e não arrematados. Com a realização dessas rodadas previstas até 2021 e a Oferta Permanente, as áreas contratadas no Brasil e as reservas de petróleo e gás do País podem aumentar de forma significativa.

Estiveram presentes no evento os diretores da ANP, Décio Oddone, Aurélio Amaral, Dirceu Amorelli, Felipe Kury e José Cesário Cecchi, ex-diretores e autoridades, como os ministros de Minas e Energia, Wellington Moreira Franco, e da Secretaria-Geral da Presidência da República, Ronaldo Fonseca de Souza.

Veja abaixo o resultado dos blocos arrematados:
 

Bacia
Setor
Bloco
Empresa / consórcio vencedor
Bônus de assinatura (R$)
Excedente em óleo oferecido (%)
Santos
SS-AUP1
Três Marias
Petrobras (30%)*; Chevron Brazil (30%); Shell Brasil (40%)              
100.000.000,00
49,95
SS-AUP2
Uirapuru
Petrobras (30%)*; Petrogal Brasil (14%); Statoil Brasil O&G (28%); ExxonMobil Brasil (28%)
2.650.000.000,00
75,49
Campos
SC-AP5
Dois Irmãos
Petrobras (45%)*; Statoil Brasil O&G (25%); BP Energy (30%)
400.000.000,00
16,43

Comments are closed.

Guiaoffshore 16 anos com você