Press "Enter" to skip to content

Produtoras do pré-sal despontam como fornecedoras de gás

Rio, 27/08/2018 – Ao todo 12 distribuidoras de gás canalizado lançaram este mês uma iniciativa conjunta para buscar novos fornecedores de gás natural. Duas chamadas públicas estão em andamento neste momento para contratação de gás para as companhias do Nordeste e Centro-Sul. Entre as potenciais candidatas a entrarem na concorrência estão não só a Petrobras, hoje praticamente a única fornecedora do mercado, como também as demais petroleiras que produzem gás no Brasil e na Bolívia, as importadoras de gás natural liquefeito (GNL) e as comercializadoras.

Entre as convidadas pelas concessionárias estão as atuais e futuras produtoras de gás do pré-sal (Petrobras, Shell, PetroChina, Equinor, ExxonMobil e BP), e outras produtoras nacionais, como a PetroRio e Queiroz Galvão Exploração e Produção (QGEP), que possuem participação no campo de gás de Manati, da Bahia. As distribuidoras veem como alternativas à Petrobras as companhias que produzem gás na Bolívia (como a Gazprom), as empresas que atuam no setor de GNL (Mitsui, Cheniere, Gás Natural Açu, GolarPower e Engie), além de comercializadoras (como Ecom e Tradener).

As chamadas públicas são uma forma de buscar novos fornecedores e melhores condições de contrato, em meio às perspectivas de redução da participação da Petrobras no mercado de gás natural e diante da proximidade do fim dos contratos com a estatal.

Num esforço conjunto, GasBrasiliano (SP), Compagas (PR), SCGás (SC), Sulgás (RS) e MSGás (MS) se uniram para promover uma chamada pública para aquisição de cerca de 12 milhões de metros cúbicos diários (m3 /dia), para a partir de 2020. Já no Nordeste, Algás (AL), Bahiagás (BA), Cegás (CE), PBGás (PB), Copergás (PE), Potigás (RN) e Sergás (SE) farão uma segunda chamada para contratação de 9 milhões de m3 /dia, também para a partir de 2021.

Os contratos serão assinados entre cada distribuidora e supridor. A ideia de se juntarem é dar escala ao processo de contratação e, assim, atrair a atenção dos grandes fornecedores. Juntas, as 12 empresas representam 35% do mercado brasileiro de distribuição.

As propostas devem ser entregues até 10 de outubro (distribuidoras do Centro-Sul) e 8 de novembro (Nordeste). A assinatura do contrato deve ficar para julho de 2019.

Ao mesmo tempo, a Agência Nacional de Petróleo (ANP) criou um grupo de trabalho para discutir a concentração de mercado da Petrobras no setor de gás natural.

*Valor Econômico

Comments are closed.

Guiaoffshore 16 anos com você