Press "Enter" to skip to content

Demanda global por petróleo deve superar 100 milhões de barris por dia

São Paulo, 14/09/2018 – O consumo global de petróleo deve superar 100 milhões de barris por dia (bpd) nos próximos três meses, colocando pressão altista sobre os preços, embora crises em mercados emergentes e disputas comerciais possam ameaçar essa demanda, disse a Agência Internacional de Energia (IEA, na sigla em inglês) nesta quinta-feira. O órgão manteve sua projeção de forte crescimento na demanda global por petróleo neste ano, em 1,4 milhão de bpd, e também não alterou sua previsão para 2019, de outra alta de 1,5 milhão de bpd.

Florence abala mercado

Os preços do petróleo fecharam em queda ontem, devolvendo parte dos ganhos do dia anterior, quando haviam sido impelidos, mais uma vez, por temores relacionados à passagem do Furacão Florence, que tem perdido intensidade nos últimos dias, sendo rebaixado da categoria 4 para 3 e, agora, a 2. Assim, prevaleceram nessa sessão os sinais de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) está ampliando a produção.

Ontem, os contratos do WTI para outubro fecharam em baixa de 2,53%, a US$ 68,59 por barril, na Bolsa de Mercadorias de Nova York (Nymex), enquanto os do Brent para novembro cederam 1,96%, a US$ 78,18 por barril, na ICE, em Londres. Dessa forma, o Brent interrompeu sequência de quatro sessões em alta, tendo chegado a tocar, na quarta-feira, a marca de US$ 80 pela primeira vez desde maio. O WTI, por sua vez, havia fechado, também na quarta, no maior nível desde 20 de julho.

Relatório mensal da Agência Internacional de Energia (AIE) mostrou que a produção da Opep aumentou o correspondente a 420 mil barris/dia em agosto, o maior aumento mensal em mais de dois anos, que colocou a produção do cartel em máxima de nove meses, puxada pela oferta da Líbia, Iraque, Nigéria e Arábia Saudita, que “mais do que compensaram as perdas do Irã às vésperas da implementação de sanções dos EUA”, informou a AIE.

Em agosto, a produção do Irã caiu o correspondente a 150 mil barris/dia, totalizando 3,63 milhões de barris/dia. As exportações do país caíram em 280 mil barris/dia, totalizando 1,9 milhão de barris/dia em agosto.

“Com o aumento da produção e a desaceleração do crescimento da demanda, a tendência é de que o mercado não sofra muito com o embargo ao Irã”, diz Norbert Ruecker, diretor de estratégia macro e de pesquisa de commodity do banco Julius Baer.

Ainda assim, há quem considere a possibilidade de ganhos adicionais para os preços, inclusive acima da marca de US$ 80 para o barril do Brent. O banco de investimentos Investec observa que, na máxima intradia do ano, o Brent foi a US$ 80,50 em maio. “No entanto, o Brent não fechou acima de US$ 80, o que significa que uma grande barreira psicológica foi atingida, mas não propriamente superada”, diz Callum Macpherson, analista do Investec.

Comments are closed.

Guiaoffshore 16 anos com você