Press "Enter" to skip to content

CNOOC busca sócio para bloco na bacia do Espírito Santo

Rio, 08/05/2019 – A petroleira chinesa CNOOC colocou à venda uma participação no bloco ES-M-592, em águas profundas na Bacia do Espírito Santo. O objetivo da companhia é encontrar um parceiro para desenvolver a área em conjunto. “Estamos procurando parceiros”, disse ontem o presidente da CNOOC no Brasil, Sheng Jianbo, em evento da FGV sobre negócios entre China e Brasil, no Rio.

O executivo não detalhou a fatia do bloco que foi colocada à venda. Hoje, a chinesa detém 100% da área, arrematada por R$ 23,6 milhões de bônus de outorga na 14ª Rodada de Licitações da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), em 2017.

Questionado sobre o interesse da companhia na 6ª Rodada do Pré-sal, marcada para 7 de novembro, Sheng disse que a empresa está estudando a possibilidade de participar do leilão. “A CNOOC está olhando”, disse.

De acordo com o executivo, a CNOOC tem planos de expandir sua atuação no Brasil.

Sheng acrescentou que a produção atual de petróleo e gás natural no campo de Mero, no pré-sal da Bacia de Santos, onde a companhia possui 10% de participação, é de 58 mil barris de óleo equivalente (BOE) por dia. Os demais sócios da área são Petrobras (operadora, com 40%), Shell (20%), Total (20%) e a também chinesa CNPC (10%).

Presente ao evento, o presente da State Grid Brazil Holding (SGBH), braço brasileiro da estatal chinesa State Grid, Chang Zhongjiao, disse que a empresa pode estudar a aquisição de ativos de transmissão de energia em construção ou operação no país “se estiver em linha com a nossa estratégia”. Questionado sobre a Argo, transmissora de energia colocada à venda pelo fundo Pátria e que possui 1,1 km de linhas previstos para entrar em operação no meio deste ano, o executivo disse que ouviu sobre essa informação, mas não forneceu detalhes sobre um eventual interesse da SGBH pelo negócio.

Chang acrescentou que a companhia tem interesse em desenvolver novos projetos no Brasil. Segundo ele, a empresa tem planos de longo prazo no país.

A SGBH colocará em operação, ainda neste ano, o segundo linhão que escoará energia da hidrelétrica de Belo Monte, no rio Xingu (PA), para o Sudeste, com 2,5 mil km de extensão e capacidade de transmissão de cerca de 4 mil megawatts (MW). O investimento na obra é de R$ 9 bilhões.

A SGBH tem 11 mil km de linhas em operação no Brasil.

Guiaoffshore 16 anos com você