Press "Enter" to skip to content

Petrobras espera vender oito refinarias e sair dos segmentos de transporte e distribuição de gás em até 24 meses

 

Castello Branco espera vender ao menos uma refinaria ainda em 2019

Agências de Notícias* e Redação

Rio, 29/06/2019 – A Petrobras espera concluir a venda de ao menos uma refinaria ainda em 2019 e também deverá sair dos segmentos de transporte e distribuição de gás no Brasil, disse Roberto Castello Branco, presidente da estatal, ao participar na B3 de um evento comemorativo da oferta subsequente de ações (“follow on”) da companhia. A conclusão dos desinvestimentos em todas as oito refinarias da companhia colocadas à venda deve acontecer em 18 a 24 meses.

“Vamos abrir espaço, vendendo empresas, saindo do transporte, já começamos a andar com isso, vendendo a NTS (Nova Transportadora do Sudeste) e a TAG (Transportadora Associada de Gás)”, destacou o CEO, em referência a desinvestimentos bilionários na área de gasodutos. “Vamos aprofundar a venda de gasodutos, vamos sair da distribuição de gás e outras medidas que estão sendo discutidas com o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica)”, acrescentou.

Segundo o executivo, o plano de desinvestimentos está caminhando com a venda do controle da BR Distribuidora, que será por meio da oferta de ações, e pela venda das refinarias. “Temos um plano estratégico acordado com o Cade para vender oito refinarias, que representam hoje 50% da nossa capacidade. Esperamos atrair investidores privados para esse processo.”

“Nós acreditamos que um prazo de 18 a 24 meses será suficiente para a venda das oito refinarias. Quanto ao valor, o mercado é que dirá, nós acreditamos que um valor substancial será obtido, mas eu, sinceramente, não me arrisco a prever nenhum número.”

CastelO Branco lembrou que já houve a decisão de venda de fatia na BR Distribuidora, mas que o percentual não foi definido. No início da semana, o Valor publicou que a discussão está em torno de 35% e que a previsão no cronograma inicial é definir preço dia 24 de julho. O executivo não comentou data e percentual. “Esperamos estar de volta aqui na B3 no menor espaço de tempo”, disse.

Em relação às novas orientações do governo sobre o mercado de gás, a Petrobras está avaliando os impactos sobre suas operações, segundo o executivo. “A Petrobras vai desenvolver todos os esforços para que tenhamos um mercado competitivo e vibrante. Nós estamos desenvolvendo planos e estamos em conversas com o Cade”, disse. Ele não detalhou os planos da companhia e da discussão com o órgão e não quis comentar o fato de, na última reunião com o Cade, não terem chegado a um acordo. “Estamos próximos de solução com o Cade, mas por questão de sigilo não posso aprofundar.”

Sobre a venda da distribuidora de GLP Liquigás, ele ressaltou que houve restrição de compradores para não gerar novas concentrações. “Não queremos desfazer o monopólio estatal para criar monopólio privado, então buscamos essa desconcentração”, disse

Plano

O Conselho Nacional de Políticas Energéticas (CNPE) publicou, em edição do Diário Oficial da União (DOU) da quarta-feira passada (26/09), as novas diretrizes políticas para o setor energético. As medidas visam a promover maior concorrência por meio da abertura do mercado de gás. Os objetivos do novo modelo estão, além de garantir o abastecimento nacional, ampliar os investimentos em infraestrutura de escoamento, processamento, transporte e distribuição do produto e aumentar a geração termelétrica a gás, diz o governo.

*Reuters

Guiaoffshore 16 anos com você