Press "Enter" to skip to content

Petrobras se prepara para cenários com petróleo a US$ 50 o barril, diz Castello Branco

Executivo diz que empresa precisa se preparar para vários cenários diante da alta volatilidade. Cotação está ao redor de US$ 58.

Reuters

Rio, 09/08/2019 – A Petrobras está trabalhando para reduzir custos e se preparar para possíveis cenários de preços globais do petróleo na casa dos US$ 50 por barril, afirmou nesta sexta-feira (9) o presidente da petroleira, Roberto Castello Branco, ao discursar em evento no Rio de Janeiro.

O executivo ressaltou que trabalhar com preços elevados é fácil, mas a empresa precisa estar preparada para diversos cenários, dada a volatilidade de preços do petróleo.

“Se a empresa não tem custos baixos, a única solução é ir a uma igreja, uma sinagoga, para pedir para o preço aumentar”, disse o executivo (foto), ao apresentar uma palestra na Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ). “Estamos nos preparando para viver bem com preço de US$ 50, talvez até menos.”

Os preços do petróleo Brent, referência internacional, estão atualmente ao redor de US$ 58. Mas cotações já chegaram a recuar para abaixo de US$ 30 em meados de 2016, após um período de preços acima dos US$ 100 entre 2011 e 2014.

Venda de ativos

Nesta sexta-feira a estatal assinou contrato com a SPE 3R Petroleum para venda por 191,1 milhões de dólares de toda a sua participação em um conjunto de 7 campos de produção terrestres e marítimos, o Polo Macau, na Bacia Potiguar, no Rio Grande do Norte, informou a estatal.

O Polo Macau engloba os campos de Aratum, Macau, Serra, Salina Cristal, Lagoa Aroeira, Porto Carão e Sanhaçu, que juntos produzem cerca de 5,8 mil barris de óleo equivalente por dia.

A Petrobras detém 100% de participação em todas as concessões, com exceção da concessão de Sanhaçu, onde é operadora com 50% de participação, enquanto os 50% restantes são da Petrogal, controlada pela Galp.

A venda será paga em duas parcelas, sendo 48 milhões de dólares com a assinatura do contrato e 143,1 milhões de dólares no fechamento da transação, sujeita a condicionantes, incluindo aprovação pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Guiaoffshore 16 anos com você