Porto de Açu duplica para 100 milhões de barris volume de exportação para Petrobras

Porto de Açu duplica para 100 milhões de barris volume de exportação para Petrobras

Apesar da pandemia, a Petrobras bateu recorde de movimentação em abril e a Açu Petróleo realizou 23% destas exportações

Rio, 12:39 23/06/2020 – A Açu Petróleo assinou aditivo ao contrato com a Petrobras que prevê dobrar o volume de óleo movimentado no terminal privado do Porto do Açu pela petroleira: em vez dos 48 milhões de barris previstos inicialmente, a estatal brasileira poderá escoar até 100 milhões de barris, mantendo o prazo do acordo inicial com validade até março de 2021.

A parceria estabelecida em março de 2019 já rendeu recordes para a Petrobras e para a Açu Petróleo. Atualmente, a estatal é a única empresa que tem seus próprios terminais para realizar as operações de exportação. Ainda assim, ano passado, o Terminal de Petróleo do Porto do Açu foi responsável por 15% das movimentações da petroleira. No mês de abril de 2020, apesar dos efeitos da pandemia no mercado, a Petrobras bateu recorde de movimentação e a Açu Petróleo realizou 23% destas exportações.

“Este contrato com a Petrobras reforça o fato de que o Terminal da Açu Petróleo é hoje uma das melhores opções de exportação de óleo do Brasil. Isso ocorre por dois motivos: a localização estratégica do Açu, próximo das bacias de Santos e de Campos, e a segurança oferecida pelo terminal para a realização de operações de transferência de óleo, já que elas são feitas em um ambiente abrigado, garantindo uma maior previsibilidade e eficiência . Contamos com uma das melhores infraestruturas portuárias do mercado nacional”, afirma Victor Snabaitis Bomfim, CEO da Açu Petróleo.

Desde sua inauguração, em 2016, a Açu Petróleo realizou mais de 170 operações de transbordo, o que representa cerca de 170 milhões de barris movimentados.

Ao todo, 25% do petróleo exportado pelo Brasil é movimentado pelo Terminal do Porto do Açu, que já opera para as principais empresas do setor que atuam no país, como Shell, Petrogal, Total, Equinor e Repsol, além da Petrobras. Desde sua inauguração, em 2016, a Açu Petróleo realizou mais de 170 operações de transbordo, o que representa cerca de 170 milhões de barris movimentados. O número de operações quase dobra ano a ano. Em 2019, a empresa atingiu o marco de maior movimentação já realizada em 12 meses, desde o início de suas operações: 72 milhões de barris escoados.

O terminal de Petróleo do Porto do Açu, segundo a empresa, é o único terminal privado no país a fazer Double Banking (transferência de petróleo em área abrigada), garantindo segurança e sustentabilidade nas operações.

As perspectivas para os próximos anos são de crescimento. Além das operações de transbordo, a Açu Petróleo prevê a construção de um parque de tancagem e dois oleodutos com 40 km para conectar o terminal até Barra do Furado, em Quissamã (RJ), e também interligar o Açu à atual malha de dutos da Petrobras, possibilitando fornecimento de petróleo cru para as refinarias Regap (Betim, BH) e Reduc (Duque de Caxias, RJ).

Infraestrutura portuária

Parceria da Prumo Logística com a alemã Oiltanking, o terminal da Açu Petróleo no Porto do Açu, em São João da Barra (RJ), realiza operações de transbordo de petróleo em área abrigada por quebra-mar. É o único terminal privado brasileiro com capacidade para receber navios da classe VLCC (Very Large Crude Carrier), que tem capacidade de armazenamento de até 2 milhões de barris de óleo cru. Com 25 metros de profundidade e moderna infraestrutura, tem capacidade e é licenciado para movimentar até 1,2 milhão de barris de petróleo por dia.

Share