Petrobras suspende Modec por 13 meses de participar em licitações de projetos do tipo FPSO

Petrobras suspende Modec por 13 meses de participar em licitações de projetos do tipo FPSO

As sanções “são os prejuízos para a Petrobras presumidamente causados ​​pela atuação de três embarcações FPSO Cidade do Rio de Janeiro MV14,  o FPSO Cidade de Niterói MV18 e o FPSO Cidade de Santos MV20

Tokyo, 05/04/2021 – A Petrobras suspendeu a Modec, especialista japonesa em FPSO, de participar de licitações de novos projetos de FPSOs (navios de armazenamento e descarga de produção flutuante). A Modec, que vê o Brasil como seu principal mercado, disse na quinta-feira que recebeu notificação da Petrobras “que sua elegibilidade para participar de nova licitação da Petrobras foi suspensa por 13 meses a partir de 31 de março de 2021”.

De acordo com a notificação, compartilhada pela Modec, a principal base para esta sanção administrativa “são os prejuízos para a Petrobras presumidamente causados ​​pela atuação de três FPSOs em serviços de afretamento que a Modec já prestou no passado e/ou está fornecendo atualmente para a Petrobras”. Essas embarcações são o FPSO Cidade do Rio de Janeiro MV14, cujo contrato de afretamento expirou em 2019, e dois FPSOs atualmente afretados à Petrobras, a saber, o FPSO Cidade de Niterói MV18 e o FPSO Cidade de Santos MV20, segundo a notificação.

“Não há expectativa de novos desenvolvimentos ou implicações, incluindo nas finanças da Modec, uma vez que esta sanção administrativa não afeta a execução dos contratos atuais em vigor entre a Modec e a Petrobras”, disse em nota a Modec.

A Modec, segue a nota, mantém o compromisso de aprimorar suas práticas, a fim de eliminar eventuais problemas em suas atividades ao abrigo dos contratos em vigor. “A Modec permanece enxergando o Brasil como seu principal e mais promissor mercado, e reafirma seu compromisso com o petróleo e o setor de gás, com a excelência que sempre esteve ligada ao seu nome ao longo dos mais de 15 anos em Brasil, com seus colaboradores, clientes e fornecedores”, afirma a nota.

Na sexta-feira, um dia após o anúncio da suspensão da Petrobras, a Modec disse que seu presidente e CEO Yuji Kozai seria substituído pelo diretor da Modec, Takeshi Kanamori.

Modec’s President and Global CEO, Yuji Kozai

A Modec disse na sexta-feira que Kozai “se ofereceu para renunciar ao cargo de Diretor Representante, Presidente e CEO, bem como ao cargo de Diretor, por motivos de saúde.”

“As mudanças [de gestão] também devem impulsionar ainda mais o crescimento e aumentar o valor corporativo sob uma nova liderança em meio a mudanças no ambiente de negócios”, disse Modec.

Kozai, que agora atuará como consultor executivo, será substituído por Kanamori, que atuou como vice-presidente executivo na Modec.

 

Share